terça-feira, 15 de dezembro de 2015

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

domingo, 13 de dezembro de 2015

Assim... é bom aprender!

Multiplicação sem tabuada

Números Primos - O Plano

Os cliques da Maria

Na nossa Biblioteca o Natal é com livros!


"NO TEU OLHAR" - aproveitem bem a Feira do Livro

UM ESTRANHO NO CORAÇÃO - ROMANCE DE EDUARDO SÁ

sábado, 12 de dezembro de 2015

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

sábado, 7 de novembro de 2015

Irmão Lobo

Hipopómatos na Lua: Irmão Lobo: Iniciámos este espaço de leituras para mais crescidos com um livro do Planeta Tangerina, O Caderno Vermelho da Rapariga Karateca, o prim...

Hipopómatos na Lua: A Casa do Senhor Malaparte

Hipopómatos na Lua: A Casa do Senhor Malaparte: Já aqui  confessámos o nosso fascínio por casas. Gostamos de tentar adivinhar-lhes a intimidade, os mistérios que  podem esconder, as i...

Divisão por números decimais - Dúvidas

Aprender as Frações Equivalentes

Língua Portuguesa - Exercício Interativo de Compreensão de Leitura - Cur...

ARCA DO É ou a versão vegetariana da arca de Noé

quinta-feira, 29 de outubro de 2015

mais um estranho na escola

o palácio da lua: mais um estranho na escola: jihad, meca, muçulmanos e islão são palavras que surgem quase todos os dias nas notícias, mas raramente aparecem em livros para os m...

quarta-feira, 28 de outubro de 2015

sábado, 24 de outubro de 2015

sábado, 17 de outubro de 2015

Daisy Chain - um filme anti-bullying



Para obter tradução: clicar em definições, legendas automáticamente, depois em legendas e aí pedir para traduzir escolhendo o idioma.

Agustina Bessa-Luís

Contanário - Bruno Batista

O livro da semana

A Vida na Porta do Frigorífico
por Alice Kuipers (Autor)

Claire e a sua mãe vivem na mesma casa, mas, para todos os efeitos, é como se vivessem em planetas diferentes. As duas raramente se cruzam, e a porta do frigorífico acaba por se tornar a plataforma de contacto onde deixam recados uma à outra e se vão mantendo informadas acerca dos acontecimentos das suas vidas. Mas um dia Claire depara-se com um recado diferente do habitual, e a partir daí terá de lutar contra a distância que as separa e contra o tempo que se esgota… 
A Vida na Porta do Frigorífico é uma narrativa que mergulha no íntimo de uma relação entre mãe e filha e os sentimentos de apego, culpa, ressentimento e frustração que a convulsionam. Uma mensagem universal sobre o amor e a perda num romance comovente, que se lê de um fôlego.
«A Vida na Porta do Frigorífico não era apenas uma história sobre o cancro da mama, nem a história de uma relação. Foi, para mim, uma história acerca de duas mulheres que acabam por conhecer-se uma à outra, como eu vim a conhecer a minha mãe à medida que me fui tornando adulta.» | Alice Kuiper
Citações
  • «Muito original e comovente.» | Joanne Harris
  • «É garantido que irá emocionar-se.» | Sunday Express
  • «Kuipers relembra-nos a importância daqueles que amamos de uma forma brutal e emotiva, mesmo em momentos de dificuldades e desafios sucessivos.» | Publishers Weekly
  • «Adorei. Fez-me chorar.» | Geri Halliwell
Para ler um excerto AQUI

domingo, 11 de outubro de 2015

Quando nenhuma mulher podia votar

AS NOSSAS SUFRAGISTAS


«Houve um tempo em que nenhuma mulher da tua família podia votar. Apenas por ser mulher. Mãe, avó, tia, irmã, sobrinha, prima, não importava. Mesmo que fossem muito inteligentes, mesmo que tivessem lido cem ou duzentos livros (o que seria imenso!), mesmo que soubessem dizer a tabuada de trás para a frente ou o nome de todos os rios e afluentes da Ásia (o que seria incrível!), tinham contra si uma série de leis que as julgavam como inferiores aos homens. 

(...)

Nessa altura, só podiam votar os cidadãos portugueses maiores de 21 anos que soubessem ler e escrever e fossem «chefes de família». Então imagina: enquanto os homens vestiam as suas fatiotas para exercer o voto, as mulheres ficavam em casa a preparar coisas como cola de arroz, água canforada, cera para móveis e outras receitas domésticas que agora não servem para nada. 

Mas serviu, e muito, a coragem de uma mulher chamada Carolina Beatriz Ângelo. Foi a primeira médica cirurgiã em Portugal, uma vitória numa profissão reservada aos homens. E foi também a primeira mulher a votar, tanto em Portugal como no sul da Europa!»

via Jardim Assombrado, PUBLICADA POR 

O JARDIM ASSOMBRADO: PORTUGUESES NOS WHITE RAVENS 2015

O JARDIM ASSOMBRADO: PORTUGUESES NOS WHITE RAVENS 2015: Mais três livros made in Portugal foram seleccionados pela Biblioteca Internacional da Juventude ( um paraíso situado em Munique , on...

sábado, 10 de outubro de 2015

Outra forma de ouvir histórias

Sugestão de leitura



A não perder! Um grande acontecimento literário! A escritora que influênciou gerações! A partir de 21 de outubro.

Clube de Leitura MIL FOLHAS

 Somos Leitores. 

A Biblioteca criou o Clube de Leitura MIL FOLHAS para aqueles que gostam de uma boa conversa à volta dos livros. Aqui poderá encontrar novas leituras e aprofundá-las em encontros construtivos e enriquecedores. Uma vez por mês, todos os meses, na Biblioteca, proporcionamos a convivência e a discussão entre quem gosta de explorar e de ir mais além, tornando a experiência da leitura ainda mais estimulante. 
Descubra novos e interessantes livros. Para participar só tem de se tornar membro do Clube. Às sextas- feiras das 15h30m às 17h. Venham partilhar as doçuras dos MIL FOLHAS!
É provável que coisas improváveis aconteçam...mesmo aqui (Aristóteles)

Boas leituras! 

O livro da semana

After - Depois de o conhecer, ela nunca mais foi a mesma
por Anna Todd (Autor)

Tessa Young é uma jovem reservada e estável que sai de casa da mãe, uma mulher autoritária e preconceituosa, para iniciar os seus estudos na universidade, separando-se pela primeira vez do namorado de sempre, Noah, um rapaz doce e amoroso.

Logo no primeiro dia, conhece a sua companheira de quarto, Steph, e os amigos desta, entre os quais Hardin, um inglês insolente, cheio de tatuagens e piercings. Rápida e inesperadamente, Tessa e Hardin iniciam uma relação intensa mas atribulada, pois ele é um bad boy que só arranja problemas.

Tessa tem de tomar uma séria e dolorosa decisão: será que faz sentido trocar Noah por Hardin, desiludindo a sua superprotetora mãe e sabendo que a sua vida nunca mais será a mesma? A menos que... poderá ser por amor?

After é o primeiro livro de uma série criada por Anna Todd cujos personagens são inspirados na banda britânica One Direction. É um caso surpreendente de fanfiction, um fenómeno que começou na plataforma Wattpad, teve mais de mil milhões de leituras e tornou-se no livro mais falado da Internet!

Para ler um excerto AQUI

Onde as princesas são valentes!

Visita esta página AQUI e diverte-te com os vídeos e jogos de EverAfterHigh

terça-feira, 6 de outubro de 2015

sábado, 3 de outubro de 2015

“Uma Aventura Debaixo da Terra”


Uma Aventura Debaixo da Terra, Orfeu Negro, Mac Barnett, Jon Klassen
CRÍTICA0

“Uma Aventura Debaixo da Terra” | Mac Barnett e Jon Klassen

Para quem tem seguido de perto as edições da Orfeu Negro, um dos grandes motivos para se fazer a festa tem sido, sem qualquer dúvida, a edição de alguns livros do ilustrador e designer Jon Klassen, entre os quais se encontram “Quero o Meu Chapéu”, “Este Chapéu Não é Meu” e “O Escuro“.
Uma Aventura Debaixo da Terra, Orfeu Negro, Mac Barnett, Jon Klassen
Nos dois primeiros títulos, escritos e ilustrados por Klassen, dominava um sentido de humor com forte propensão para o negro, onde a história decorria de forma sequencial, sempre em busca de um chapéu, até ao clique final que fazia regressar a personagem principal ao ponto de partida para recuperar o seu bem mais precioso. Já em “O Escuro”, escrito por Lemony Snicket e com ilustrações de Klassen, acompanhávamos uma criança e o seu combate contra um dos medos humanos mais primitivos.
Em ambos os casos, mesmo que situados nos antípodas das emoções humanas – e também nas cores, técnicas e perspectivas da ilustração -, mantinha-se uma grande expressividade dada às personagens – sobretudo nos olhares -, o uso de texturas e outros detalhes que transformavam os desenhos de Klassen numa imagem de marca, facilmente reconhecível em qualquer livro que tivesse a sua assinatura. Como é notório no recente “Uma Aventura Debaixo da Terra” (Orfeu Negro, 2015), uma aventura passada debaixo do solo com texto de Mac Barnett.
Uma Aventura Debaixo da Terra, Orfeu Negro, Mac Barnett, Jon KlassenManuel e João decidem, numa segunda-feira como todas as outras, cavar um buraco, concordando em parar apenas quando encontrassem uma coisa espectacular. Escavaram para baixo, para a esquerda, para a direita e, a certa altura, o buraco já era maior do que eles. Até que uma coisa espectacular aconteceu, algo que não estava nem nos seus melhores planos.
Com o singular humor visual de Jon Klassen, Mac Barnett leva-nos numa divertida e ziguezagueante aventura debaixo da terra, mostrando-nos que andar em círculos ou a mudar constantemente de direcção pode não ser a melhor estratégia para alcançar aquilo que desejamos. Haja antes persistência (o cão que o diga). Um deleite visual desenhado em tons de sépia.


via DeusmeLivro

Herberto Helder :: Quem fabrica um peixe fabrica duas ondas / Dito por F...

A Matemática é Eterna

Para aprender português



Ensino de português para surdos

Jogo para crianças surdasDe acordo com a professora Sueli Fernandes, o correto é que as crianças surdas aprendam primeiro a linguagem de sinais (libras) e que o português seja sua segunda língua. “Não adianta só colocar um interprete de libras em todas as salas, é preciso pensar no ensino do português como o ensino de uma língua estrangeira para eles”, afirma.
O personagem da história, o Wyz, é um viajante espacial que deseja voltar para casa, mas, para isso, precisa encontrar sua nave. Para passar de fase, o jogador precisa pegar as letras na ordem correta e formar as palavras, para assim superar os obstáculos. No primeiro cenário, o jogo é uma espécie de snake onde Wyz precisa pegar as letras que estão em flores. Em sequência, o personagem precisa acender todas as tochas em que as letras estão espalhadas. Na fase final, Wyz precisa acertar uma bola nas caixas em que estão cada letra certa.
Para fazer o download do jogo, acesse o link. Atualmente, o jogo só está disponível para iPad. ‘’Estamos trabalhando em uma versão para Android, mas ainda vai demorar um tempo para programar tudo’’, comenta Patrícia Leite.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Escritores em grelhas de Palavras Cruzadas

Escritores em grelhas de Palavras Cruzadas: Doze imagens de escritores em grelhas de Palavras Cruzadas. Os doze autores que dão título ...

Spot SeguraNet

Viste alguém estranho na NET?

Vídeo que ilustra a reação de uma criança perante uma situação estranha na Web e o papel do encarregado de educação perante este cenário.

O que fazem com as nossas imagens?

 o que fazem com as imagens que publicamos?

clica na imagem para saberes!
via SeguraNET

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Manual de Segurança para crianças







Guarda Nacional Republicana (GNR) e a Associação Portuguesa de Crianças Desaparecidas (APCD), por ocasião do dia internacional da criança desaparecida, apresentam, “O Meu Manual de Segurança”: regras e atividades pedagógicas.Paraconsultares clica em: O Meu Manual de Segurança.

terça-feira, 29 de setembro de 2015

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

domingo, 27 de setembro de 2015

Contanário - Susana Cecílio

Poemas da Horta e Outras Verduras no PNL

Máquina de Voar ® Editora: Poemas da Horta e Outras Verduras no PNL: O Plano Nacional de Leitura atualizou as listas para o ano letivo 2015-2016. O livro Poemas da Horta e Outras Verduras ( Manuela Leitão ...

O COMEÇO DE UM LIVRO É PRECIOSO

O JARDIM ASSOMBRADO: O COMEÇO DE UM LIVRO É PRECIOSO, 18: «Buck não lia jornais. Caso contrário, teria sabido que desde Puget Sound a San Diego se tramava uma conjura, não só contra ele, mas tamb...

Pérolas da Literatura

quinta-feira, 24 de setembro de 2015

SEM DÚVIDA!


Pordata Kids

Chama-se Pordata Kids e tal como a base de dados ‘mãe’ pretende dar a conhecer Portugal e a Europa através de números, percentagens e muitos dados estatísticos. A organização por temas – população, saúde, cultura e deporto, educação, ambiente, etc. – repete-se tal como acontece no Pordata. Mas toda a linguagem, imagem, apresentação e seleção de indicadores foram trabalhados de forma a serem acessíveis a crianças entre os 8 e os 12 anos, que tipicamente estão no 3.º ao 6.º anos de escolaridade.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

A conquista de Ceuta: um dia de combate

A conquista de Ceuta: um dia de combate

O fracasso da expedição a Tânger

O fracasso da expedição a Tânger

Breve história da Inquisição em Portugal

Breve história da Inquisição em Portugal

Os judeus e a inquisição em Portugal

Os judeus e a inquisição em Portugal

Na rota das especiarias

Na rota das especiarias

quarta-feira, 16 de setembro de 2015

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

sexta-feira, 28 de agosto de 2015

A magia das bibliotecas

«Todas as coisas do mundo podem ser chamadas a comparecer à força das palavras, para existirem diante de nós como matéria da imaginação. As bibliotecas são do tamanho do infinito e sabem toda a maravilha.»
Valter Hugo Mãe

quinta-feira, 13 de agosto de 2015

quinta-feira, 6 de agosto de 2015

8 crianças que abalaram o mundo

anne_frank-3497603Anne Frank                                                Malala Yousafzai

Adora Svitak



Mozart



Severn Cullis-Suzuki



Samantha Smith - Louis Braille -Ruby Bridge  - AQUI

A poesia é para comer

terça-feira, 4 de agosto de 2015

17 dicas


clik na imagem para aceder ao conteúdo

 ler artigo

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Quando fazemos viagens juntos



Todos os filhos a fazem.
Todos os pais a detestam.
É assim em todas as viagens que fazem juntos.
Os filhos têm muita pressa, porque a vida não espera.
Os pais querem ir devagar, porque o tempo não chega.
Mas uns e outros aprendem a apreciar a jornada.
É assim em todas as viagens que fazem juntos.

Excerto
«Na última vez que fomos a casa da Avó, eu era muito pequena.
E o meu irmão ainda mais.
Era só um bebé na barriga da Mãe, por isso passou a viagem a comer e a dormir.
Como um astronauta na sua nave, em férias no espaço.
O meu irmão já foi um tatibitate, mas agora sabe falar.
Ainda falta muito?, está sempre a perguntar.»
Ainda Falta Muito? de Carla Maia de Almeida

fonte: Wook

sábado, 1 de agosto de 2015

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Para memorizar mais rapidamente


Consulte 9 dicas para memorizar mais rapidamente:
 1. Preparação
Antes de começar a estudar o que tem que memorizar, deve preparar-se previamente. Tenha em atenção a escolha do local de estudo para que consiga manter o foco e prestar a atenção necessária.
 2. Gravar o que memoriza
Fazer uma gravação de som daquilo que tem que memorizar pode ser-lhe útil para reter mais facilmente as informações, sobretudo se em causa estiver uma palestra à qual assistiu, ou um discurso que vai ter que fazer. Leia em voz alta os textos que tem que memorizar para que os possa ouvir mais tarde.
 3. Anotar
Para que se familiarize com aquilo que tem que memorizar, escreva várias vezes as informações até que o assunto fique mais claro na sua mente. Uma boa alternativa também é fazer essas anotações enquanto ouve as suas gravações.
 4. Dividir as suas notas


Se a sua aprendizagem é mais eficiente por associação visual, divida as suas anotações por secções e separe os assuntos por cores. Experimente, e verá que esta pode ser a solução ideal para si.
 5. Repetição
Enquanto lê o texto que tem que memorizar, tente repetir a leitura linha por linha até que consiga fixar as palavras. Faça um teste para verificar se a estratégia funciona e tente lembrar-se do que foi lido sem olhar para as páginas.
 6. Escreva o que se lembrar
Depois de fazer essa leitura repetitiva dos textos, escreva tudo o que guardou na sua memória. Isso vai ajudá-lo a reforçar o que deve ser memorizado.
 7. Ensine alguém
Quando memorizar grande parte da matéria, teste e reforce os seus conhecimentos tentando ensiná-los a alguém, ou a si mesmo.
 8. Ouça as suas gravações
Enquanto estiver a fazer outras tarefas, ouça as suas gravações. Isso ajudá-lo-á a manter as informações na cabeça e não terá que dedicar tanto tempo exclusivamente a isso, podendo dar atenção às suas outras responsabilidades.
 9. Faça intervalos
Tentar memorizar o que quer que seja não funcionará se não fizer alguns intervalos para descansar a sua cabeça. Só assim conseguirá assimilar os assuntos com clareza. Por isso, imponha a si próprio períodos de repouso.

quinta-feira, 30 de julho de 2015

Aproveite as férias para potenciar a sua mente


De seguida, fique a conhecer 5 dicas para dissipar a sua mente: 
 1- Tenha uma boa noite de sono
Dormir bem durante a noite é essencial para a sua saúde mental. Além de melhorar a memória, o sono potencia a fixação dos conteúdos estudados, reduz o stresse e diminui a possibilidade de obesidade. Portanto, dormir bem é o primeiro passo para esvaziar a mente. 
 2- Exercite-se
Manter-se fisicamente bem é vital para o bom funcionamento do cérebro. Uma pesquisa feita com ratos revelou que aqueles que se exercitavam criaram mais células cerebrais, além de se tornarem mais espertos. Em relação aos seres humanos, os exercícios mostraram-se eficazes para aumentar a inteligência. Estas pessoas tiveram melhor desempenho em testes mentais, revelando maior capacidade de memorização e capacidade para prestar mais atenção a tudo o que as rodeava. 
 3- Comer bem
Algumas deficiências alimentares podem resultar em problemas de memória e confusão mental, como por exemplo, a falta de vitamina B-12. Os melhores alimentos para potencializar as suas capacidades mentais são o peixe, as nozes e sementes.
 4- Medite
Além da meditação ser um método de relaxamento, diminui o stresse, melhora a memória, permite dormir melhor e aumenta a capacidade de atenção. Durante esta prática, o cérebro é capaz de processar melhor as informações.

Essa situação pode impedir o fluxo de memória, diminuir a sua imunidade, dificultar boas noites de sono. Desenvolva um plano de redução de stresse na sua vida, identificando os elementos que o incomodam e encontrando estratégias para solucionar os problemas. Pode explorar algumas técnicas para reduzir a tensão, como por exemplo, exercícios de respiração e de meditação.

quarta-feira, 29 de julho de 2015

ESCREVER NA ÁGUA

ESCREVER NA ÁGUA-clik





















Depois do êxito de Irmão Lobo(atravessado pela história de uma família em desagregação), Carla Maia de Almeida volta à temática da família, com uma abordagem que surpreende pela originalidade. As famílias deste livro são  inspiradas nos principais deuses e deusas da mitologia greco-latina, que a autora considera muito parecidos, afinal, com os humanos (tirando os poderes sobrenaturais).

Texto e ilustração fundem-se numa sóbria harmonia, resultando num livro singular e de poética beleza. Os textos curtos e magníficos,  dispostos lateralmente a cada página, cedem a largueza da dupla página às ilustrações de Marta Monteiro, que nela se espraiam como retratos vivos do dia a dia de cada uma destas famílias.

É um livro para ler em família. Várias vezes! A cada leitura, deleita-nos ver a forma como os mais novos vão descobrindo as subtilezas e revelando sinais de identidade com esses pais, mães, tios e avós, que têm tudo menos nomes vulgares

via: Hipopótamos na lua
recomendado pelo PNL

Para melhorar a sua organização na escola

Considera-se um aluno organizado ou acha que ainda tem que melhorar? Fique a conhecer algumas dicas simples para que a organização se torne um hábito e consiga tirar melhores notas na escola:
 1 – Não guarde papéis e materiais que já não são necessários
É frequente acumular objetos e materiais sem muita utilidade, tanto no local onde costuma estudar em casa, como na própria mochila? Evite guardar coisas que já sabe à partida que não vai voltar a utilizar. Por exemplo, escreveu à pressa as anotações da aula e em casa decidiu passá-las a limpo? Depois de completar essa tarefa, já não faz sentido manter o rascunho, certo? Ao deitar fora, demora menos tempo a encontrar os materiais que precisa para o seu dia a dia e, consequentemente, deixa o seu espaço de estudo e a mochila mais limpos.
 2 – Tenha uma pasta para arquivar os seus exercícios e trabalhos
Os textos que vai precisar de usar ao longo do ano letivo devem ser mantidos num local em que consiga encontrá-los rapidamente. Uma maneira de garantir isso é tendo uma pasta com divisórias para cada disciplina na mochila, porque assim arquiva o seu material conforme o vai recebendo na sala de aula sem a necessidade de perder muito tempo a revirar as suas coisas para as organizar depois.
 3 – Defina quais são os seus objetivos e faça uma lista de tarefas
Se a sua principal meta para este ano é entrar na faculdade, faça uma lista de tudo o que deve fazer ao longo dos próximos meses para estudar as matérias mais importantes e garantir um bom desempenho ao longo do próximo ano e nos exames. Conforme vai completando as tarefas listadas, risque-as e planeie o seu próximo passo, mas não se esqueça: estabeleça prazos realistas neste cronograma para não colocar pressão a mais sobre si mesmo.
 4 – Tenha uma agenda
Para não se esquecer as datas de entrega de trabalhos é recomendável que você tenha uma agenda, seja de papel ou no telemóvel. Dê destaque às tarefas mais importantes, escrevendo de outra cor ou colocando alarmes no seu smartphone para não se esquecer. No entanto, para que essa medida realmente dê resultados, é necessário que crie o hábito de verificar a sua agenda. No início até pode ser um pouco difícil acostumar-se a isso, mas quando se der conta da sua funcionalidade, vai ver que vai começar a incluir este hábito na sua rotina.
 5 – Tenha um kit de sobrevivência sempre consigo
Já conhece alguns materiais básicos que deve usar diariamente na escola, como lápis, canetas e borracha. Por isso, já deixe na sua mochila um estojo com tudo o que possa precisar e deixe outro de reserva em casa com mais itens deste tipo. Assim, se tiver o hábito de se esquecer dos seus materiais, passa a ficar sempre preparado para a aula e evita esquecer-se do seu estojo na mesa de casa.

Siddhartha- Leitura recomendada



Hermann Hesse (1877-1962, prémio Nobel da Literatura em 1946) escreveu "Siddhartha" em 1922 e desde essa data o livro tornou-se uma espécie de compêndio de vida e manual de aprendizagem espiritual para muitos ocidentais que nele encontraram eco e caminho.
"Siddhartha" insere-se numa linha de pensamento em que o misticismo e o pacifismo andam de mãos dadas e cujo centro se localiza nos preceitos e na espiritualidade (ou ausência dela, como se queira) budistas.
Criado no seio de uma família religiosa, Hesse leu Nietzsche, Dostoievsky e Spengler, tendo aprendido com eles a contar uma história e a insuflar nela o verbo que distingue o simplesmente narrativo do iluminante, uma escrita que vai direita ao íntimo do leitor. Em 1911, viaja até à Índia e aí encontra o cerne da sua espiritualidade, que cruza com o ideário romântico e uma recusa de todo e qualquer dogmatismo. Coincidindo com o despoletar da Primeira Guerra Mundial, uma crise pessoal leva-o ao divã de psicanálise de um discípulo de Carl Gustav Jung, cujas teorias sobre o Inconsciente Colectivo são mais uma pedra que utilizaria para erguer o templo em louvor de religião nenhuma que é "Siddhartha".
Ao longo dos anos, o livro tornou-se, ele próprio, uma religião, sobretudo para os jovens, que nele viam, expresso de forma acessível, simples e condensada, o exemplo de uma conduta que, sendo moral, é ao mesmo tempo transgressora (Siddharta recusa os ensinamentos dos sábios, do próprio Gotama, o Buda, dando ouvidos unicamente à sua própria voz interior).
"Siddhartha" é o caminho de Buda, o caminho para chegar a Buda e o caminho que parte de Buda. Pode ser lido também como uma história, na exacta medida em que todas as vidas contam uma história. É, em última análise, um livro sobre como abandonar todas as paixões para descobrir o amor.
Representa o culminar de uma fase criativa que, no capítulo dos romances e contos, engloba, entre outras, as obras "Demian", "O Último Verão de Klinsor", "Klein e Wagner", "A Cura", "O Lobo das Estepes", "Narciso e Goldmundo" e "Peregrinação ao Oriente". 
fonte: Público- coleção Mil Folhas
Recomendado pelo PNL

sexta-feira, 24 de julho de 2015

Exame Nacional Matemática 12.º Ano - 2015 - 1.ª fase



Onde podes aprender Matemática - AQUI!

O semeador



Quatro são os poucos minutos necessários para Joaquin Baldwin  nos dizer muitas coisas. Talvez o mais significativo é que, na vida, apesar das dificuldades é preciso semear para colher os frutos!
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...